Home | Loja Virtual | Fotos e Vídeos | Campeonatos | Classificados | Matérias | Contato | Onde Pescar | Técnicas | Cursos e Palestras | Eventos | Destinos

Onde Pescar

Rio Juramento

Essa é a segunda vez que tenho a oportunidade de pescar nesse rio que considero um dos melhores segredos dos Hermanos. O rio Juramento é um rio bastante extenso que nasce nas cordilheiras e deságua no rio Paraná. Suas águas são limpíssimas e bastante rápidas. Está localizado na província de Salta a 180km da capital, a cidade de Salta. Eu e meu parceiro Martin partimos de Salta por volta das 6 horas da manhã e às 8 horas estávamos chegando ao nosso destino onde, depois de um pequeno trecho de estrada de terra, estaríamos colocando os barcos na água. Os barcos utilizados, nesse caso, são botes infláveis adaptados para fazer essa pescaria de dourados no sistema denominado “flotada”. A descida do rio é feita nos botes arremessados nas galhadas nas margens



do rio e também no meio do rio. Em cada bote, o guia fica no meio do mesmo controlando-o nas águas rápidas que variam de 6 a 8 quilômetros por hora. Em cada ponta do bote fica uma cadeira para que o pescador possa confortavelmente fazer seus arremessos. Essa pesca é uma das mais esportivas que já fiz, sendo que pela rapidez que se desce o rio e a quantidade de galhadas não é recomendada para principiantes. Os “robalheiros”, acostumados à precisão dos arremessos nas galhadas, com certeza tem uma vantagem para esse tipo de pescaria. Estamos no mês de outubro e essa época do ano é uma das melhores pelo fato de chover muito pouco na região, deixando assim as águas bem transparentes e em um nível onde com certa facilidade podem ser localizadas as estruturas. Utilizamos carretilhas de perfil baixo com varas de 5’6’’ para poder facilitar os arremessos das carretilhas preenchidas com 100 metros de multifilamento 40 libras, leader de flurocarbon de 50 libras e um leader final de aço fino, recoberto de nylon. Começamos o primeiro dia com fortes expectativas devido ao fato de os guias dizerem que haviam tido bastantes ações em dias anteriores. Começamos arremessando como loucos, mas nosso guia logo avisou que era melhor poupar os arremessos selecionando os melhores lugares, pois teríamos um dia longo já que começamos às 9h e iríamos pescar até as 19h, descendo aproximadamente 40km flotando. Mas, na verdade, eu não queria perder nenhuma galhada promissora, então continuei arremessando.

Depois de aproximadamente uma hora de pescaria, senti um forte tranco na minha linha e não demorou muito para um lindo dourado de 9kg pular rio abaixo. Começava uma dura briga com um peixe que não gosta de se entregar facilmente. Depois de uma emocionante briga com direito a vários saltos, conseguimos tirar o dourado da água. Lindo exemplar que fez a felicidade da turma com os “mosqueiros” pescadores de fly que estavam no bote anterior ao nosso fazendo bastante festa com esse fantástico peixe. Depois de fotos tiradas, liberamos o dourado para que ele pudesse dar as mesmas alegrias que eu vivi a outro pescador. Aqui vale o comentário que nessa pesca é obrigatório o pesque e solte. É triste lembrar que aqui no Brasil também já tivemos exemplares desse porte em diversos de nossos rios, mas que hoje ficam só na memória de alguns pescadores mais velhos que puderam presenciar esse fato. Bom, voltando a pescaria continuamos descendo o rio e a cada galhada era a expectativa de uma novo ataque. Até a pausa para o almoço, ainda tivemos uma outra emocionante briga com outro dourado de bom porte que não queria se entregar. Toda vez que parávamos o bote para descer e

trabalhar o peixe lá ia ele tomando linha e voltávamos para o bote. Foram três paradas até embarcar o forte dourado. Explicou Emiliano, nosso guia que os dourados de 8 a 9kg são os que mais “peleiam” muitas vezes mais que os maiores. Tivemos outras ações, mas muitos dourados acabaram escapando, a maioria das vezes nos saltos acrobáticos. Pausa para um saboroso almoço ali mesmo no rio e seguimos com a pescaria. À tarde, tivemos diversas

ações e bons peixes foram fisgados e outros tantos escaparam. É muito importante ter garatéias reforçadas porque se não com a força dos peixes muitas vezes acabam se abrindo e perdemos os tão sonhados troféus. Cruzamos de novo com os “mosqueiros” porém eles não tinham tido tanta sorte e haviam capturado apenas dois dourados de porte menor. No final da tarde aconteceu uma cena incrível. Vinha recolhendo minha isca, quando perto de uma galhada, pude ver um cardume de quatro dourados pequenos brigando para atacar a isca. Continuei trabalhando e, depois de três erros, um dourado finalmente abocanhou a isca. Poder ver isso, devido à transparência da água, não tem preço. Terminamos o dia muito satisfeitos com a produtividade alcançada. No final, foram 6 dourados embarcados de vários portes e inúmeras outras ações. Bastante cansados, no final do dia, fomos comer um assado com os colegas pescadores de fly. Fui dormir com a expectativa de que no dia seguinte conseguiríamos a mesma produtividade. Acordamos com o barulho de um bando enorme de jandaias que faziam muita algazarra. Bom, fui tomar um café da manhã reforçado e partir para mais um dia de pescaria. O tempo tinha mudado e parecia que não teríamos o sol forte do dia anterior. O céu estava

bastante nublado o que me deixou esperançoso porque em dias nublados os peixes tendem a comer mais perto da superfície devido à menor quantidade de luz. Bom, começamos o dia descendo no mesmo trecho que tínhamos percorrido no dia anterior. Fiquei um pouco receoso pela questão da pressão de pesca, mas logo iríamos ver que não influenciou em nada a pescaria. O que acontece é que como descemos muito rápido e você tem a chance de fazer um no máximo dois arremessos por galhada não consegue bater todos os pesqueiros e então não tem maiores problemas de pressão de pesca. Logo no começo da pescaria meu parceiro de pescaria, Martin engatou um lindo exemplar que depois de muita briga foi vencido. O lindo exemplar pesava acima de 12kg. Com o troféu garantido, continuamos a bater e as ações não paravam de acontecer. Embarcamos muitos

peixes na parte da manhã e também tivemos inúmeras ações onde não conseguimos embarcar os peixes. Era impressionante, não passávamos mais de 20 minutos sem alguma ação ou algum dourado ser embarcado. Paramos

para almoçar em torno do meio-dia. Fizemos um rápido almoço porque teríamos que terminar a pescaria em torno das 16:00 horas para voltarmos a Salta. À tarde, os ataques continuaram e foi uma festa com dourados sendo embarcados de vários tamanhos. Bom, chegamos ao fim da pescaria muito satisfeitos com o resultado. No segundo dia, embarcamos 14 dourados e tivemos mais de 30 ações. Emiliano nosso guia não acreditava na quantidade de peixes e passava as informações para outro guia que estava com os pescadores de mosca em outro trecho do rio. Infelizmente, eles não tiveram a mesma sorte que nós. Emiliano muito eufórico dizia que havíamos quebrado o recorde de dourados em um dia de pesca e que desde que trabalha nesse rio nunca tinha visto tantos peixes embarcados e tantas ações no mesmo dia.

Foram dois dias de pesca no rio Juramento, maravilhosos que vão ficar na memória. Espero, no futuro, poder retornar nesse rio majestoso e torço também para que, num futuro próximo, a consciência prevaleça para que possamos fazer pescarias semelhantes em águas tupi guarani.

Caminho das pedras: A cidade de Salta está localizada no norte da Argentina. Não existem vôos diretos. Existem diversos vôos diários de Buenos Aires para Salta. De Salta são 180 quilômetros até o lugar da pesca.

Para qualquer outro detalhe entre em contato com contato@bassnook.com.br

Tralha recomendada: Varas de 20 libras e 6 pés. É melhor uma vara um pouco maior para ajudar na briga com os dourados maiores. Carretilha Curado E200 de perfil baixo. Linha multifilamento 40 libras com leader 0.50mm de flurocarbon e um leader de aço fino com capa de nylon. Iscas de meia água Rapala Xrap 14, Alfers (argentina) entre outras iscas que trabalham bem na meia água.









Voltar
















Desenvolvido por OneWeb